Race as a family…

Quando se ganha, todos dedicam a vitória à equipa, mas o que muito gente não entende é o verdadeiro significado dessa dedicatória!
Claro que para os lideres ganharem, os gregários têm de se sacrificar em prol deles, dar o corpo as balas, para que na hora das decisões eles cheguem o mais frescos possíveis. Mas até aqui toda a gente entende quando dizem: ” Dedico esta vitoria a equipa pelo trabalho realizado”.

O que muita gente não entende é o que está por trás das câmaras e dos holofotes, ou seja, o trabalho do staff da equipa, que muitas das vezes é esquecido.

Abastecimento durante a etapa

Vejam bem a imagem que escolhi, ia Eu com cerca de 6m de atraso dos primeiros, mas lá estava o nosso massagista à minha espera com bidão de água fresca e um gel para os últimos 10k da etapa. Mas isto é apenas um pequeno exemplo do que eles fazem pois muitas das vezes são os nossos “psicólogos”, que nos escutam e tentam aconselhar na hora da massagem, quando chegamos “rebentados” e desapontados. São os primeiros a levantar e os últimos a deitar, pois é necessário preparar o abastecimento para a etapa, o nosso pequeno almoço, estudar percurso para dar assistência ao longo da etapa, fazer a refeição pós etapa (e acreditem que às vezes parece um bufete com massa, arroz, batata, fruta, iogurtes…) fazer a massagem, lavar roupa, etc…

Falemos agora dos mecânicos que também não tem uma vida nada fácil. O trabalho deles vai desde lavar e afinar todos os dias as 3 bicicletas de cada um dos ciclistas que estão em prova, ao  cuidado de no final de cada etapa perguntar-nos se tava tudo de acordo com o nosso “gosto”.

Numa prova por etapas, andamos de hotel em hotel, e quando chegamos está tudo pronto à nossa espera. Sabem como isso é possível? Um massagista e um mecânico saiem bem cedo com toda a nossa logística e vão preparar o próximo hotel. Imaginem terem de carregar cerca de 20 malas com 20kg e muitas das vezes em hotéis sem elevadores. Muita gente pensa que o papel de um Director Desportivo é apenas ir a validação das licenças antes da prova iniciar e conduzir o carro! Estão enganados! Eles têm de preparar toda uma logística, desde o programa para o dia seguinte (Hora do pequeno almoço, de saída para a prova, horário de entrega das malas, etc.), têm de estudar muito bem o percurso (desde se ha áreas abertas, montanhas, descidas perigosas, subidas não categorizadas) e ver como estão os atletas um a um para delinear a tática para o dia seguinte.

Por isto tudo e algo mais que possa me ter esquecido digo sempre: “se ganhar, ganhamos juntos; se perder, perdemos todos juntos”.

#ociclistadopovo #tiagomachado

2 Replies to “Race as a family…”

  1. Que achas da situacao em que um jovem é apaixonado pelo ciclismo mas os pais não o apoiam nessa jornada (talvez por medo/incerteza de nao haver nenhuma garantia ao contrario de muitos outros trabalhos, exemplo: trabalhar para o estado…).
    Eu percebo um pouco os pais, o desconhecido assusta e quando se esta condicionado a ter tudo certinho ainda mais. Mas se o filho tem mesmo amor pelo ciclismo, nao ha mais nada que lhe de tanto gosto, porque não deixá-lo atirar-se de cabeca? Mesmo que não de certo eu acho que se podem tirar lições para o resto da vida dos fracassos e quem sabe se essas lições não dão depois muito jeito noutras circunstancias. Assim nao se “mata” a sensibilidade de uma pessoa porque na minha opinião as pessoas não morrem so quando “batem a bota” e são enterradas, morrem logo no momento que deixam de lutar por algo em que acreditam.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.