A minha Alentejana

A minha ultima participação na Volta ao Alentejo remonta ao ano de 2009!! Passado dez anos lá fui Eu para uma famosa região do nosso país, no que a gastronomia e vinho diz respeito! Se há região no nosso país a onde se bebe um bom vinho tinto é sem duvida o Alentejo e a sua gastronomia então nem se fala! Claro está que nestes últimos dias a nossa ementa resumia-se à famosa “massa ou arroz”, carnes brancas grelhadas, legumes e saladas!!!
Após a Volta ao Algarve treinei bem e descansei ainda melhor, contudo não consegui o resultado que gostava de ter feito, pois os adversários estão muito mais fortes que Eu e quando assim é só me resta felicitá-los!

Na primeira etapa, foi um dia de muito stress por causa do vento e das longas rectas que podiam ser aproveitadas para os famosos abanicos! Com a chegada a coincidir com um “topo”, foi stress em cima de stress… Mas nesse dia ainda deu para chegar com os melhores.

Segunda etapa novamente um dia de chegada num “topo” e uma vez mais “alta tensão” à conta do vento! Até cerca de 5km da chegada estava tudo a correr bem, mas na descida de aproximação à meta fiquei mal colocado, comecei o último km muito atrás e já não consegui chegar com os melhores!

Ao terceiro dia e como vi que já estava arredado da luta por algo, ataquei e fui para a fuga, mas sem grande sucesso pois a mesma viria a ser anulada ao km 120 ! Depois ainda pedalei um pouco no pelotão, onde descaí para a cauda para comer e beber (coisa que não tivera muito tempo na fuga). Nessa altura houve um abanico que fez com que ficasse num grupo mais atrasados, e chegasse à meta com 8m de atraso do vencedor! E aqui sim, arredado de tudo mesmo!

Chega o dia de todas as decisões com duplo sector no quarto dia da Alentejana! De manhã etapa de 75km, com passagem no famoso Cabeço de Mouro. E de tarde um crono de 8,3km em Castelo de Vide. Da parte da manha ainda ía bem dorido da “aventura” do dia anterior e mal fizemos viragem para a Subida, não consegui seguir o grupo e chego num daqueles grupos atrasados! À tarde, numa localidade onde já tinha ganho 2 Campeonatos Nacionais de crono, ía tentar fazer um bom resultado se as pernas o permitissem. Mas mal arranquei, logo vi que também não ía ser o meu dia. O bom de já ter 15 anos como profissional é que sabemos se vamos a andar bem ou não, e quando vi que as “pernas não rodavam como queria”, foi o pedalar para não ser dobrado!

Último dia e última oportunidade! Saímos do autocarro com as ideias bem definidas, que era levar o César Martingil o melhor possível para estar na discussão da prova! E a cerca de 40km para o final assumimos a frente do pelotão e fizemos esses kms a média de 54!!! Anulamos a fuga e ele fez um excelente sprint, finalizando na 4ª posição!

No que a mim diz respeito foi mais uma prova que não colhi os frutos do meu trabalho, mas acredito que está para breve! Em termos coletivos conseguimos um lugar nos 10 melhores e disputamos etapas!

Uma palavra de agradecimento à organização pelos magníficos 5 dias pelo Alentejo. No próximo ano se mantiverem o mesmo figurino de etapas, tragam-nos as bonificações para ” apimentar” a prova…

 

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.